PERSONALIDADES: A trajetória do Gaúcho de Lavras do Sul, Paulo José

5 de setembro de 2017 22:571 comentário

Colagem com fotos da Internet

Panorama Lavrense vai trazer agora um histórico de um dos maiores lavrenses de todos os tempos: Paulo José Gómez de Souza (ou simplesmente Paulo José).

Nascido em Lavras do Sul no dia 20 de março de 1937, é ator, roteirista e diretor.

Aos dez anos de idade, foi estudar no Colégio dos Padres Salesianos, em Bagé: no teatro da escola, teve suas primeiras experiências com pantomimas e dramas circenses. Mudou-se com a família para Porto Alegre, onde prestou vestibular para Medicina e, em seguida, para Arquitetura. Ainda na capital gaúcha, iniciou sua carreira no teatro amador. (MEMÓRIA GLOBO, 2013)

No início da década de 1960, Paulo José foi morar em São Paulo e começou a trabalhar com o grupo Teatro de Arena, onde exerceu as funções de ator, contrarregra, assistente de direção, produtor, diretor musical, cenógrafo e figurinista. Estreou em 1961, na peça Testamento de um Cangaceiro, de Chico de Assis. (MEMÓRIA GLOBO, 2013)

No cinema, começou sua carreira em 1965, atuando no filme O Padre e a Moça, de Joaquim Pedro de Andrade. Entre 1965 e 1968, participou de cerca de dez filmes, alguns de extrema importância para o Cinema Novo, como Macunaíma, também dirigido por Joaquim Pedro de Andrade, e Todas as Mulheres do Mundo, de Domingos Oliveira. (MEMÓRIA GLOBO, 2013)

Foi casado com Dina Sfat, com quem teve três filhas, as atrizes Bel Kutner, Ana Kutner e Clara; com a atriz Beth Caruso, com quem teve um filho, Paulo Caruso; e com Zezé Polessa. (WIKIPÉDIA, 2017).

Tem uma grande carreira no teatro, no cinema e na televisão, onde, na Rede Globo, atuou em 25 novelas, 13 minisséries, 8 seriados e diversos outros programas (lista completa no Memória Globo). As novelas Vamp e Por Amor e a minissérie Incidente em Antares abrangem alguns de seus papéis de destaque na dramaturgia da emissora.

Em sua apreciação sobre a carreira de Paulo José, o crítico Yan Michalski, depois de considerar que ele se destaca mais no cinema e na televisão, embora seu campo preferido seja o teatro, avalia: “Como diretor, seu trabalho caracteriza-se antes de mais nada por uma extrema solidez artesanal, noção de equilíbrio e inteligência na escolha do repertório. Como ator, durante muito tempo deveu parte do seu sucesso pessoal à jovialidade, ao encanto e à simpatia da sua presença em cena. Sua volta ao palco, a partir de 1985, revelou um ator notavelmente amadurecido, perfeccionista, humano, inteligente e claro na transmissão das menores intenções dos respectivos personagens”. (MICHALSKI, 1989).


Paulo José no Festival de Gramado, em 2008. Vídeo do Gramado Site.
Atualmente, luta contra o Mal de Parkinson, mas é forte, guerreiro e continua sendo esta grande personalidade que a arte brasileira, o povo e a crítica consagraram. Do brasileiro, tanto do espectador de mídia quanto dos artistas, vai todo o nosso reconhecimento a um dos maiores nomes da dramaturgia nacional em todos os tempos. Sucesso e muita luz ao grande lavrense Paulo José.

REFERÊNCIAS

MEMÓRIA GLOBO. Disponível em: <http://memoriaupgrade.lumis.com.br/perfis/talentos/paulo-jose/trajetoria.htm>. Acesso em 05 de Set. 2017.

MICHALSKI, Yan. Paulo José. In: ___________. PEQUENA Enciclopédia do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material inédito, elaborado em projeto para o CNPq. Rio de Janeiro, 1989.

PAULO José. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa13465/paulo-jose>. Acesso em: 05 de Set. 2017. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

PAULO José. Wikipédia, a enciclopédia livre. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Paulo_Jos%C3%A9>. Acesso em: 05 de Set. 2017.

1 Comentário

Deixe um comentário