Links informativos

Visitar Lavras do Sul é se surpreender com um jeito peculiar e simples de levar a vida. Muitas vezes se diz que Lavras do Sul é uma grande família, por conta de sua hospitalidade entre os habitantes e para com os visitantes. Mesmo com seu tamanho de pequeno porte, possui atrações e eventos que atraem pessoas de diversos lugares e de todos os estilos, em todas as épocas do ano. Conhecendo Lavras do Sul, tu irás te surpreender. ///// Localizado na mesorregião do Sudoeste Rio-grandense e na microrregião da Campanha Meridional, a 320 quilômetros via rodoviária da Capital do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, o município de Lavras do Sul foi fundado em 9 de maio de 1882, emancipando-se de Caçapava do Sul. É o único município gaúcho com origem na mineração e na extração do ouro, mineral outrora abundante na região. Segundo dados do Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, a população era de 7.679 habitantes. Seu território se estende por 2.600 km² e, as Coordenadas Geográficas da zona urbana são 30° 48' 41” S, 53° 54' 02” O. Divide-se em dois distritos: Sede (a leste) e Ibaré (a oeste).

APRESENTAÇÃO


Lavras do Sul é um município gaúcho localizado na microrregião da Campanha Meridional, no sudoeste do Estado. Fica a 320 km de Porto Alegre, entre Caçapava do Sul e Bagé. 

FONTE: Charles Lopes / Lavras do Céu / Reprodução Youtube
Teve origem na mineração do ouro. Portugueses, espanhóis e belgas, atraídos pelo mineral, colonizaram a região. O nome se origina da mineração (lavra) do ouro. Foi emancipado em 9 de maio de 1882 e elevado à categoria de cidade em 1938. 

Encontra-se na região da Serra do Sudeste, no chamado Escudo Sul-Rio-Grandense. A altitude da sede é de 277 m, mas alguns pontos do Município chegam a mais de 400 m. Na porção oeste do município, o chamado “Fundo”, há a paisagem característica da Campanha Gaúcha, com relevo mais plano, ondulado e com pouca vegetação. Na porção leste, o relevo é um pouco mais elevado. 

O principal rio é o arroio Camaquã das Lavras, que banha a sede municipal e abriga a principal atração turística e de lazer da cidade, o Balneário do Paredão, que tem uma estrutura para abrigar turistas da região e é bastante movimentado nos meses de verão. O clima é subtropical, com verões e invernos bastante rigorosos (pode chegar a perto de 40º C no verão e 0º C, facilmente, no inverno, com várias geadas).

O município tem área de cerca de 2 600 km². A população, segundo o IBGE, com dados de 2013, é de 7.862 habitantes. A cidade originou-se de forma linear. A partir da década de 1960, houve uma expansão urbana da cidade, formando até mesmo alguns bairros afastados do centro. A topografia não é uniforme, com inúmeras partes elevadas, depressões e pequenos vales. O centro é separado do bairro do Balneário do Paredão por um declive mais acentuado do que o do lado deste, através do arroio Camaquã. 

A densidade demográfica é de 3,1 hab./km². Os principais grupos étnicos formadores são os portugueses, espanhóis, belgas, italianos, alemães, negros e pardos. A população lavrense é composta de 51% de mulheres e 49% de homens. Com relação à situação de domicílio, 62% dos habitantes vivem na zona urbana e 38% na zona Rural. 

O predomínio religioso de Lavras é o Catolicismo, mas há também significativas comunidades evangélicas e espíritas. O padroeiro da cidade é Santo Antônio (13 de junho, feriado municipal). A Igreja Matriz de Santo Antônio é a mais importante e também cartão postal da cidade, localizado no centro. 

O asfaltamento a Lavras via Caçapava só chegou em 1990. Para Bagé, não há ainda estrada asfaltada, sendo o asfaltamento desta bastante reivindicado pela sociedade lavrense e da região. Há uma linha férrea no distrito do Ibaré, no interior do município. O transporte por automóveis é o mais utilizado. Não há trânsito intenso, nem congestionamentos, apenas um certo movimento na ruas centrais João Bulcão e Pires Porto. 

O ponto mais central da cidade é a Praça Licínio Cardoso, onde estão concentrados a Igreja e o tradicional Clube Comercial. É o ponto de encontro dos lavrenses, sobretudo dos jovens, nos finais de semana e no verão. 

Suas principais atividades econômicas são: pecuária (criação de ovinos, equinos e bovinos), comércio, serviços, turismo, produtos artesanais e mineração. 

O Carnaval é o principal evento da cidade. Turistas de várias regiões do RS participam da folia, que dura cinco dias. Mesmo sendo uma cidade pequena, Lavras conta com pelo menos 15 blocos carnavalescos.

Os blocos mais famosos são Grupo dos Relaxados (o mais antigo de salão do Brasil, fundado em 1930), o Vae de Qualquer Geito ou VG (rival saudável dos Relaxados, fundado em 1937, com seu primeiro carnaval em 1938).

Lavras tem cinco rádios FM’s. A mais ouvida é a Pepita FM. A Internet se desenvolveu rapidamente nos últimos anos, via discada ou via rádio e, mais recentemente, via celular e 3G. 

Aproximadamente 88% da população é alfabetizada. Lavras do Sul tem 18 escolas, com diversas finalidades (Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, Educação de Jovens e Adultos, APAE, Cbem (Centro de Bem Estar do Menor) e Centro Preparatório para concursos públicos, entre outros.

O lavrense se caracteriza por possuir um sotaque que o diferencia da maioria do RS: o “e” carregado. Exemplo: Eu sou “dê” Lavras”.

Lavras têm um hospital, com estrutura básica, assim como postos de saúde. A expectativa de vida é de 77,05 anos, segundo o IBGE. A mortalidade infantil é de 10,87/mil nascidos vivos, segundo a FEE/RS.

O Segundo Distrito, localizado a 47 km do Centro de Lavras do Sul, também denominado de Ibaré, é uma localidade simpática, com belas paisagens e, assim como o povo da Zona Urbana (ou Sede), é receptivo e hospitaleiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny

No Facebook

Postagens mais visitadas